Pierre Levy e as Tecnologias da Inteligência

Pierre Levy é um filósofo, sociólogo e pesquisador francês conhecido por abordar a tecnologia e seu impacto nas relações humanas. O Professor Lévy vive na França onde leciona no departamento de hipermídia da Universidade de Paris. Pierre Lévy é formado em filosofia e sociologia e é mestre em história da ciência.

O autor explica como a tecnologia mudou alguns contextos da sociedade e discorre sobre temas como: cibercultura, ciberdemocracia, árvores de conhecimento e tecnologias da inteligência.

Inovações tecnológicas foram responsáveis direta e indiretamente por grandes revoluções, mudanças de comportamento e paradigmas.

A impressora de tipos móveis de Gutemberg acelerou a produção de livros, e consequentemente a difusão do conhecimento.

Não é ficção

A ficção científica sempre fascinou o imaginário humano. Não vivemos o Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley. Mas muitas “previsões”, algumas tecnológicas, do autor em 1931 estão presentes em nosso cotidiano: fertilização in vitro, manipulação psicológica e condicionamento por meio da mídia publicitária, legalização e abuso de drogas, estabelecimento de score social, realidade virtual, realidade aumentada, falta de privacidade, bullying.

O Black Mirror é real! Cadê o seu celular? Na sua mão? Não vive sem ele? Consulta cada notificação como uma obrigação que se descumprida será rigidamente punida? Muitos episódios da série já são realidade:

Resistência

A tecnologia como conhecemos, informatizada, é apenas uma das criações tecnológicas do ser humano. A impressão, a eletricidade, o automóvel, o motor à combustão, e muitos outros exemplos podem ser citados como invenções que não foram muito bem compreendidas ou até mesmo aceitas inicialmente. Mas foram incorporadas ao nosso cotidiano, e hoje não imaginamos um mundo sem essas coisas.

A tecnologia não deve ser combatida como algo mal que substitui o tradicional e estabelecido. Mas, como algo que complementa, agrega e reorganiza as atividades humanas.

Acomodação

Frequentemente a tecnologia substitui a si mesma, na frenética comprovação da Lei de Moore. Prova disso são os exemplos abaixo:

Cabe refletir como encaramos nossas atividades cotidianas e os novos desafios e soluções tecnológicos. Será que estamos presos à forma antiga de realizar nosso trabalho por inércia, medo do novo ou preguiça? Ou estamos acompanhando este Admirável (nem sempre) Mundo Novo?

Auditoria Fiscal

Auditoria Fiscal: Conhecimentos Necessários para o Auditor Interno

Auditoria fiscal é a análise independente dos riscos e controles relacionadas às leis tributárias. Ou seja, o auditor fiscal avalia o correto cálculo dos impostos, e auxilia no combate à sonegação e à lavagem de dinheiro.

Por meio da auditoria fiscal é possível avaliar se as obrigações principais e acessórias, demonstrativos e declarações solicitadas pelo Fisco estão em compliance com as regras estipuladas.

Principais Riscos Tributários

Abaixo estão 4 dos principais riscos fiscais:

  • Escolha errada do modelo de tributação, o que pode impedir o usufruto de benefícios como por exemplo as isenções fiscais;
  • Pagamento incorretos de tributos com impacto financeiro no resultado da Companhia;
  • Erros nas informações prestadas, decorrentes da falta de conhecimento da legislação e sistema tributário;
  • Multas e autuações por descumprimentos das obrigações fiscais.

Auditoria Contábil ou Fiscal

Committee of Sponsoring Organization of the Treadway Commission (COSO) faz a seguinte definição de controle interno (COSO, 1992, tradução livre): Controle interno é amplamente definido como um processo, realizado pela diretoria de uma entidade, gestores e outras pessoas, projetado para conferir uma razoável segurança do cumprimento dos objetivos traçados, nas seguintes categorias:

  • efetividade e eficiência das operações;
  • confiabilidade das demonstrações financeiras;
  • conformidade com as leis e normas vigentes.

Os riscos tributários, definidos como todos os riscos que podem influenciar um resultado tributário inesperado em função da desconformidade tributária, geralmente não têm sido bem compreendidos ou transparentes para todos os agentes envolvidos em uma empresa. A falta de percepção da complexidade da legislação tributária e de sua importância por parte da administração pode ter consequências severas para a empresa (NEUBIG; SANGHA, 2004).

Ao mapear os processos, a auditoria pode realizar testes automatizados com ferramentas de análise de dados como o ACL Analytics, IDEA, Arbutus ou semelhante.

Ferramentas de Business Inteligence como Tableau, Qlik Sense ou Power BI são úteis para visualizar os dados de forma gráfica e identificar outliers.

Muitas atividades do auditor fiscal poderão ser substituídas por robôs no futuro. Na verdade, no presente análises padronizadas, ou repetitivas já estão sendo automatizadas com a tecnologia RPA.

Auditor Fiscal no Setor Público

No setor público, Auditor fiscal é o cargo do servidor responsável por fiscalizar o cumprimento das legislações tributária, aduaneira e trabalhista. Por isso, existem Auditores Fiscais Federais na Receita Federal e do Trabalho), Estaduais e Municipais. Ele é um dos responsáveis por combater a sonegação de impostos e a lavagem de dinheiro.

Sua atuação está prevista pela Constituição, pelo Código Tributário Nacional, pela CLT e demais leis federais, estaduais e municipais.

O cobiçado cargo público de auditor fiscal da Receita Federal é bem remunerado. O salário inicial parte dos R$ 21.029,00 com jornada de 8 horas diárias. A Lei 10.593 especifica as atribuições exigidas de um auditor fiscal da Receita Federal.

Há cursinhos especializados em concursos públicos para auditor fiscal. São requeridos conhecimentos em Direito, Administração, Sistema Tributário, Economia e Finanças.

As etapas do concurso público costumam ser:

  • Prova objetiva de conhecimentos gerais e específicos
  • Prova discursiva
  • Sindicância de vida pregressa